Afinal ser a palhaça da escola serviu para alguma coisa

O assunto escola/universidade pode ficar encerrado onde começou: no título. Não é trauma, mas eu gosto de ir directa ao assunto e de bons títulos.

Há dois anos, em conversa com um amigo, desabafava (lamuriava-me na verdade) as minhas estratégias de marketing (frustradas) para chegar o meu trabalho a mais pessoas.
O meu amigo-mentor (todos deveríamos ter um) sugeriu substituir o logótipo que usava como imagem de perfil na página do Fakebook por uma fotografia minha. Parece que as pessoas gostam de ver outras pessoas. O trabalho também querem conhecer, mas ver caras dá mais pontos ao trabalho.
Boa. Tudo o que eu adoro. Mostrar a minha vida (leia-se o meu eu) e os meus sinais que nunca viraram sardas ao público.

A ser, que seja à minha maneira. E à minha maneira tem que ter exagero e graça.

 
A sugestão de trocar o logótipo por uma fotografia acabou por se transformar na princesa dos meus olhos. E assim, decido apostar tudo o que consigo na criação das “mini publicidades” para divulgar o trabalho e workshops. Adoro pensar no conceito, fazer a mini produção e ser fotografada.

Fotografia da sessão para promover o meu primeiro workshop cujo nome foi “Oficina de Colagem”, 2016.

Sessão fotográfica para promover o workshop de Verão que organizei em Portimão, 2016.

Sessão fotográfica para imagens promocionais enquanto artista.

Fotografias para a minha loja online – já encerrada – para promover as minhas peças de roupa.

A questão dos likes não é para massajar o ego mas enquanto artista independente temos que nos dividir em várias funções que numa empresa são repartidas por várias pessoas, e uma delas é a gestão das redes sociais, que por si está estreitamente relacionada com o marketing e a comunicação. O produto por si só não vende.
É preciso mais. E isto é o mais que eu sei fazer melhor.

E sim, é verdade. As pessoas gostam de ver pessoas no online.
O óooonnnnline.

Fotografias no atelier onde trabalho, PANDO, para promover o meu trabalho.

Captura do vídeo a comer bolachas para promover os Lanches da Colagem.